Família Fagan: tradição no cultivo de jabuticaba

Família Fagan: tradição no cultivo de jabuticaba

Com uma tradição iniciada pelos primeiros imigrantes que vieram da Itália no início do século passado, uma parte da família Fagan, que se estabeleceu no município de Casa Branca, deu início a um dos maiores pomares de jabuticabeiras do Estado de São Paulo. “Meus avós tiveram a visão, muito boa por sinal, de transplantar jabuticabeiras

Com uma tradição iniciada pelos primeiros imigrantes que vieram da Itália no início do século passado, uma parte da família Fagan, que se estabeleceu no município de Casa Branca, deu início a um dos maiores pomares de jabuticabeiras do Estado de São Paulo. “Meus avós tiveram a visão, muito boa por sinal, de transplantar jabuticabeiras para as lavouras de café, com o objetivo de ter uma atividade agrícola mais fácil de se trabalhar”, conta Neusa Fagan, que ao lado de outros integrantes da família – Valdir, José Roberto, Rubens, Carlos, Arlei, Angela e Ana Maria Fagan – dá continuidade à tradição de cultivar jabuticaba como a principal atividade agrícola.

Contando um pouco mais da história da família, Neusa relata como o amor por esta cultura teve início. “Como as jabuticabeiras demoram anos para frutificar, meus avós foram adquirindo mudas e formando os pomares (muitas dessas plantas ainda estão na propriedade da família), mas como precisavam de renda fizeram um plantio consorciado de jabuticaba e laranja. Quando começaram a colher as primeiras jabuticabas, a produção seguia de trem para a Estação da Luz em São Paulo e de lá seguia para o Mercado Central (atual Mercado da Cantareira). A fruta era embalada em cestas de bambu, feitas na cidade de Itatiba, e cobertas com galhos de jabuticabeira”.

 

Produção

Atualmente, no Sítio Boa Vista, a família tem 1.600 pés de jabuticaba em 20 hectares, cuja produção é toda comercializada na Ceagesp. “Hoje, a cultura da jabuticaba é toda mecanizada; apenas a colheita é feita manualmente. O manejo é realizado com podas, adubação e calagem, em um contexto de lavoura comercial e muito profissional. Investimos em um manejo biológico de pragas e no uso adequado de produtos químicos, com o menor índice de toxicidade possível. Usamos muito esterco e adubos orgânicos para fertilização do solo. A colheita é manual, gerando um grande número de empregos para Casa Branca e região. Tudo isso é fruto de investimento de décadas em um pomar que conta com árvores centenárias e o plantio contínuo de novas plantas, as quais começarão a produzir em 10 anos”, diz a produtora.

 

Cuidados

Sobre o período de seca, Neusa salienta que a produção de jabuticaba sofre como outras culturas com o calor mais intenso, mas como é nativa da Mata Atlântica tende a se adaptar às intempéries climáticas. “As perspectivas para a safra deste ano são razoáveis, pois a nossa área é 100% irrigada por microaspersão (mangueiras que levam água até o pé das plantas), mas, por conta da escassez de chuvas, nos adequamos para controlar muito bem a água, para não haver desperdício”.

2 comentários

Posts Carousel

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com um * são obrigatórios

2 Comentários

  • Daniel Pinto
    16 de junho de 2021, 08:03

    Estamos a procura de um produtor e exportador de jaboticabas para a Europa e Reino Unido. Fico no aguardo de algum contato

    RESPOSTA
  • Luciano
    24 de setembro de 2021, 23:41

    Estou comendo as jabuticabas de vcs que compro em uma quitanda onde moro…que delícia…como faço pra comprar direto de vcs

    RESPOSTA

Latest Posts

Top Authors

Most Commented

Featured Videos